1. Uma nova suruba. - PARTE 15


    Encontro: 16/02/2019, Categorias: Travestis, Autor: tiffanycrossdresser, Fonte: ContoErotico

    Aproximo da cama, o pinto dele estava mole e caído de lado mas parecia grande ainda, subi na cama e fui de quatro em direção a sua pica com minha boca, botei na boca e senti o gosto bom novamente, ele me diz, - isso, mama gostoso meu bezerrinho!Logo a cabeçona começou a ficar inchada de novo, Joaquim resmunga, - deita de ladinho, para tomar leitinho antes de dormir!Encosto a cabeça na barriga dele e fico mamando no pinto dele, sua mão acompanha batendo punheta, com a outra segura minha cabeça, eu aliso seu saco cabeludo, apesar de ter já gozado naquela noite, seu pau estava duríssimo novamente, e não demora, começa a pulsar em minha boca, mais uma vez a porra sob e ele jorra em minha boca, apertou minha nuca contra o pau, engoli tudo novamente, ele então relaxa e diz, - vai para o seu quarto, agora acabou mesmo!Me levanto da cama e saio do quarto dele, sigo para o meu, vou no banheiro e dou uma lavada na cara, tava tudo melado, volto pra cama e bato uma punheta, gozo gostoso e logo adormeço, acordo no outro dia cedo, sentindo minha mão com grude, tinha dormido com minha porra na mão e barriga.Olho a hora e são quase 8 horas da manhã, precisava ir embora, não tinha ninguém em casa, mas já estava longe desde ontem, era melhor ir.Vejo minha roupa e tinha um problema, estava de dia, e minhas coisas tinham ficado na fabrica abandonada junto com a bicicleta, a roupa que tinha ali era a de cd, fui procurar o padre Joaquim, que estava numa cozinha tomando café, me olhou e disse, - ...
    bom dia meu jovem?- oi padre, bom dia, to com um problema! – digo a ele oque não tenho então, rapidamente o padre resolve meu problema, vai num quarto e pega uma bermuda e uma camiseta, não sei de quem era, talvez outro que ele tenha fodido ali, mas oque importava era que resolvia minha questão.Tomei café então, conversamos um pouco e saímos, ele disse que logo chegaria à empregada da casa, e que não seria bom me ver por ali, entramos no carro e partimos, e o movimento da estrada tava fraco, então logo chegamos aonde ele me pegou, não houve muita conversa, somente um tchau de ambos, desci e fui ver se minhas coisas ainda estavam ali, e para minha sorte, estava tudo no local, juntei e peguei a bicicleta, chegando em casa fui tomar um banho, como estava sozinho, demorei no banho, me sentido a própria putinha de machos.Tinha dormido muito bem, então o sono não existia, pela manhã assisti tv, fiquei deitado a manhã toda no sofá, almocei e daí fui ver oque faria a tarde toda, realmente não sabia, então fui na banca de revista que era meu fornecedor de pornografia, e tinha material novo, comprei as revistas que já na capa mostravam suruba, claro que era suruba de mulher com homens, não podia comprar suruba gay, o cara da banca me conhecia e com certeza abriria a boca para meio mundo, era muito de tirar sarro dos outros.Comprei 3 revistas, todas deliciosas, acaso alguém não saiba, tudo que se tinha na época era isso de material pornográfico, já tenho mais idade hoje, to recordando ...
«123»